quarta-feira, 8 de junho de 2016

Portugal sub-17 (1-1 vs. Espanha 21.05.2016)

Hélio Sousa

Substituições:


55' Mésaque Djú por Miguel Luís (MC)


79' Domingos Quina por Rafael Leão (EE)



Individual:


Diogo Costa (GR): Muito seguro; Sofreu apenas um golo durante o Europeu;

Diogo Queirós (DCD): Após um início de torneio com muitos nervos, assentou e revelou-se um autêntico patrão da defesa;

Diogo Dalot (DD): Tem um remate forte e gosta de tentar alvejar a baliza quando se aproxima da área contrária; Apontou o golo português, com um forte remate de pé direito;

Rúben Vinagre (DE): Dá muita profundidade ao seu corredor; É bastante aguerrido; Faz lembrar Fábio Coentrão; Não descura o aspeto defensivo; Fez uma assistência, num cruzamento após arrancada pelo flanco esquerdo;

Domingos Quina (MCE/EE): Tem muita habilidade; É o médio que mais se aproxima da área adversária; Joga bem com os dois pés; Pode atuar no centro ou nas alas;

José Gomes (PL): Cinco dos sete golos que apontou no Europeu foram de cabeça;

Miguel Luís (MCD): Deixa a bola redonda nos companheiros;


Hélio Sousa: Perdeu apenas um jogo oficial desde que está na Federação;

terça-feira, 7 de junho de 2016

Portugal sub-17 (2-0 vs. Holanda 18.05.2016)

Hélio Sousa

Substituições:


58' Domingos Quina por Miguel Luís (MC)

74' João Filipe por Thierry Correia (DE)

80+1' Mésaque Djú por João Lameira


Individual:


Diogo Dalot (DD): Perigoso na execução de livres diretos; Lateral muito ofensivo; Marcou o segundo golo de Portugal, em lance individual;

Rúben Vinagre (DE/EE): Autêntica locomotiva no corredor esquerdo; Cruza bem; Executa livres diretos; Fez uma assistência, na execução de um livre;

Florentino Luís (MDF): Assegura o equilíbrio tático da sua equipa; Recupera muitas bolas;

Gedson Fernandes (MCD): Passe e protege muito bem a bola;

Domingos Quina (MCE): Utiliza o drible e a fantasia como recursos para ultrapassar situações de inferioridade numérica; Dá criatividade ao corredor central;

Mésaque Djú (ED/EE): Muito rápido; Pode jogar na direita ou na esquerda;

José Gomes (PL): Fortíssimo no jogo aéreo, tendo marcado de cabeça, mais uma vez; Lê muito bem o jogo, sabe os espaços que tem de atacar, o timing correto, e isso faz com que marque muitos golos de cabeça, mesmo não sendo muito alto (1,77 m);

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Portugal sub-17 (0-0 vs. Bélgica 11.05.2016)

Hélio Sousa
Substituições:

57' João Filipe por Mésaque Djú (ED)

69' Domingos Quina por Gedson Fernandes (MC)

77' Mickael Almeida por José Gomes (PL)


Individual:

Diogo Costa (GR): Sempre muito atento, mesmo em jogo em que só lhe é exigido trabalho muito esporadicamente;

Luís Silva (DCE): Central esquerdino;

Thierry Correia (DD): Polivalente, pode jogar à direita ou à esquerda, embora seja destro; Não é muito rápido;

Rúben Vinagre (DE): Extremo de origem; Responsável no capítulo defensivo; Muito rápido; Recusou o Manchester United para ir para o Mónaco;

João Lameira (MDF): Não é muito vertical no seu futebol, comparativamente com Florentino Luís;

Miguel Luís (MCD): Gosta de rematar a meia distância, ainda de fora da área;

Domingos Quina (MCE): Tecnicamente evoluído; Funciona como terceiro médio, o que mais se aproxima da área adversária; Tem boa chegada a área;

João Filipe (ED): Fantasista; Malabarista com a bola nos pés, dá 'show' quando tem a redondinha, mas nem sempre é eficaz;

Rafael Leão (EE): Destro na esquerda, faz muitos movimentos para dentro; Ao fletir, gosta de puxar para o pé direito e rematar;

Mickael Almeida (PL): Francês de gema, tem mãe francesa e pai português, mas que emigrou para França ainda muito jovem; Não sabia falar português até há bem pouco tempo;

domingo, 5 de junho de 2016

Portugal sub-17 (2-0 vs. Escócia 08.05.2016)

Hélio Sousa
Substituições:

57' João Filipe por Rafael Leão (EE)

69' Gedson Fernandes por João Lameira (MC)

73' José Gomes por Mickael Almeida (PL)


Individual:

Diogo Costa (GR): Seguro; Joga bem com os pés;

Diogo Queirós (DCD): Por vezes parece acusar o peso da braçadeira, desconcentrando-se e falhando na precisão de passe;

Diogo Leite (DCE): Forte no jogo aéreo;

Diogo Dalot (DD): Dá bastante profundidade ao corredor direito;

Thierry Correia (DE): Executa lançamentos laterais longos; Destro na esquerda; Forte fisicamente;

Florentino Luís (MDF): Boa saída de bola; Fundamental na primeira fase de construção; Muito atento, está sempre preocupado em ocupar rapidamente os melhores terrenos para pisar;

Gedson Fernandes (MCD): Tem remate forte e colocado e gosta de experimentá-lo à média distância; Um autêntico chuta-chuta; Fez a assistência para o segundo golo, com um belo cruzamento;

Domingos Quina (MCE): Tem grande qualidade técnica e boa chegada à área; Apontou o primeiro golo, através de um forte remate de pé direito;

Mésaque Djú (ED): Revela pouca frieza na hora da finalização;

João Filipe (EE): Extremamente hábil; Homem das bolas paradas;

José Gomes (PL): Forte no jogo aéreo e a jogar de costas para a baliza; É um autêntico goleador; Fez a assistência para o primeiro golo, precisamente com um passe atraso a jogar de costas para a baliza, e marcou o segundo, de cabeça;

Portugal sub-17 (5-0 vs. Azerbaijão 05.05.2016)

Hélio Sousa
Substituições:

48' Miguel Luís por Domingos Quina (MC)

58' José Gomes por Mickael Almeida (PL)

67' Mésaque Djú por Rafael Leão (EE)


Individual:

Diogo Costa (GR): Já foi chamado à seleção olímpica, embora tenha apenas 16 anos;

Diogo Queirós (DCD): Capitão; Forte no jogo aéreo;

Diogo Leite (DCE): Seguríssimo;

Diogo Dalot (DD): Lateral ofensivo; Não tem problemas em utilizar o pior pé, o esquerdo, algo raro nos dias de hoje;

Rúben Vinagre (DE): Homem das bolas paradas, especialmente as do lado direito, onde as executa com o pé esquerdo; Foi na cobrança de um canto que fez a assistência para o 1-0; Lateral muito ofensivo;

Florentino Luís (MDF): Gosta de pegar no jogo a partir da posição '6'; Trinco moderno, com boa saída de bola, que tenta dar verticalidade ao futebol da sua equipa através do passe;

Miguel Luís (MCD): Filho do antigo jogador de Campomaiorense e Académica, também formado no Sporting, Nuno Luís; É um médio box-to-box, responsável por ligar os setores; Vai buscar a bola junto dos centrais e entrega-a aos avançados; Marcou um golo, de fora da área, em jeito;

Gedson Fernandes (MCE): Fez a assistência para o quarto golo; Não executa muito rápido, mas executa bem; Gosta de rematar a meia distância, e até foi assim que apontou o quinto golo de Portugal;

Mésaque Djú (ED): Pode jogar em ambas as alas; Gosta muito de aparecer na faixa central a gerar desequilíbrios;

João Filipe (EE): Executa bolas paradas, sobretudo no lado esquerdo, com o pé direito; Pode jogar em ambas as alas; É um jogador com muita habilidade e criatividade;

José Gomes (PL): Marcou dois golos, um de cabeça e outro de pé direito; Já joga e brilha pelos juniores do Benfica, embora ainda tenha idade de juvenil;

Domingos Quina (MC): Filho do antigo central do Benfica e internacional português Samuel;

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Dortmund (1-0 vs. Hannover 13.02.2016)

O onze de Thomas Tuchel

Substituições:



64' Castro por Pulisic (EE);

75’ Ginter por Weigl (MDF);

75' Mkhitaryan por Durm (ED);



Coletivo:



Centrais abertos, trinco recuado e laterais projetados na primeira fase de construção dos ataques;

Cantos defensivos: jogador(es) no(s) poste(s);

Quando a equipa adversária contorna a zona de pressão do Dortmund, a defesa fica muito exposta;

Embora o Dortmund seja uma equipa com muitos automatismos e boas movimentações ofensivas, por vezes os seus ataques processam-se de uma forma lenta,  o que torna a equipa praticamente inofensiva;

Equipa muito subida, com os centrais a aparecerem muitas vezes já no meio-campo contrário;

Equipa muito forte em transições, defensivas e ofensivas; Quando tem a bola parece preparada para a perder, e quando não a tem, parece já preparada para iniciar um contra-ataque;



Variações táticas:


Mkhitaryan e Castro trocam de posição entre si;




Individual:


Burki (GR): ???

Piszczek (DD): Lateral ofensivo, que cruza muito bem;

Subotic (DCD): Muito alto (1,91 m) e seguro a jogar com os pés;

Hummels (DCE): Capitão; Tem boa saída de bola, mas também arrisca em demasia;

Schmelzer (DE): Lateral ofensivo mas experiente (28 anos); Só jogou com a camisola do Dortmund, estando na equipa principal desde 2008;

Gundogan (MCD): ???

Ginter (MDF): Aparentemente roubou o lugar a Weigl nos últimos jogos; Polivalente, pode atuar a trinco, lateral direito ou central; Oferece mais agressividade defensiva à posição 6, embora não tenha a técnica e visão de jogo de Weigl;

Kagawa (MCE): Muito habilidoso, sempre com a bola colada ao pé;

Mkhitaryan (ED/EE): Joga bem com os dois pés; Ganhou imenso com a chegada de Thomas Tuchel ao comando técnico;

Reus (PL): Atravessa um grande momento de forma; É incisivo na finalização; É muito perigo na execução de livres diretos; Tem uma qualidade técnica incrível: receções orientadas e passes e remates muito precisos;

Pulisic (EE): Tem apenas 17 anos; É internacional jovem pelos Estados Unidos; É filho de um antigo praticante de futebol indoor

Weigl (MDF): Oferece mais capacidade técnica, visão de jogo e qualidade de passe do que Ginter na posição 6; Está sempre muito atento, jogando de cabeça levantada e olhando em seu redor para perceber as movimentações dos colegas e adversários;



Extras:


Thomas Tuchel raramente repete um onze. Promove rotatividade, mudando em média três jogadores de um jogo para outro; Durante os encontros, está sempre de pé, muito interventivo, e com o seu fato de treino vestido; Treinador muito jovem (42 anos);

Melhor ataque da Bundesliga a par do Bayern (53 golos em 21 jornadas);

Nunca um 2.º classificado na Bundesliga tinha tido tantos pontos (48) à passagem da 21.ª jornada;

28 pontos nos primeiros 10 jogos em casa (nove vitórias e um empate) para a Bundesliga é um record da história do Dortmund;

A bancada do topo sul (Sudtribune), com capacidade para 25.000 pessoas, é a maior da Europa, e onde fica a claque do Dortmund; Os adeptos chamam-lhe parede amarela;

Dortmund (3-1 vs. Estugarda 09.02.2016)

O onze de Thomas Tuchel

Substituições:



77' Reus por Leitner (MC)

87’ Gundogan por Kagawa (MC)



Coletivo:



O Dortmund defende em 4x1x4x1, com Ginter/Gundogan/Mkhitaryan sem a mesma coesão do trio Weigl/Gundogan/Castro, embora a ideia seja a mesma: defenderem próximos;

Os médios interiores (Gundogan e Mkhitaryan) aparecem na área, até em simultâneo, para situações de finalização;

Os jogos do Dortmund são sempre animados, porque a equipa é bastante objetiva e procura constantemente a progressão no terreno e por sua vez o golo;

Cantos ofensivos: Quatro ou cinco homens na área (Hummels, Sokratis, Aubameyang, Ginter e eventualmente Piszczek);

Existe muita procura por passes nas costas da defesa, com os avançados sempre no limite do fora de jogo à procura do timing certo para a desmarcação;

Muita pressão ao portador da bola em qualquer zona do campo; Equipa muito solidária para conseguir recuperar a bola rapidamente;

Cantos defensivos: Pelo homens um homem num poste, por vezes um em cada;



Variações táticas:


Aubameyang e Reus trocam de posição entre si. Quando Aubameyang estava na direita, assistiu Reus para o 1-0 e quando foi para o meio fez o 2-1 a passe de Reus: ambos têm um entendimento perfeito, independentemente das posições em que atuem; Durm também entra nestas permutas posicionais, mas sempre nas alas;




Individual:


Burki (GR): Não é o mais seguro dos guarda-redes, sobretudo nas saídas aos cruzamentos;

Piszczek (DD): Lateral de elevada estatura (1,84 m);

Hummels (DCE): Capitão; Aparece à entrada do meio-campo contrário para criar desequilíbrios ou fazer um passe de rotura; Muito alto (1,91m) e forte no jogo aéreo;

Gundogan (MCD): Esteve 14 meses parado (entre agosto de 2013 e outubro de 2014) devido a uma grave lesão na coluna; Executa livres diretos; Assume o papel de homem do ultimo passe; É bastante preciso no passe; Acelera o jogo com o passe;

Ginter (MDF): Recua até perto dos centrais para receber a bola e iniciar os ataques; Polivalente, pode atuar como central, lateral direito e médio defensivo; Foi campeão do mundo em 2014 pela Alemanha, sendo até o mais jovem jogador da seleção, embora não tivesse participado em nenhum jogo na prova; 

Mkhitaryan (MCE): Executa cantos;

Aubameyang (ED/PL): Extremo de origem, voltou a jogar na ala direita do ataque na partida frente ao Estugarda; Muito veloz e bom finalizador; Dá profundidade e largura ao ataque;

Reus (PL/EE/ED): Excelente finalizador, que com naturalidade pode fazer a posição de ponta de lança; Pouco afortunado, falhou o Mundial-2014, ganho pela Alemanha, devido a uma lesão no tornozelo; Executa vários tipos de bolas paradas, incluindo livres diretos;

Durm (EE/ED): Prima pela polivalência: faz de lateral e extremo dos dois lados, uma das razões pela qual é chamado regularmente por Joachim Low para a seleção alemã;


Extras:


O Dortmund leva bastantes adeptos atrás da equipa principal; Adeptos dão um apoio impressionante à equipa, sempre a cantar e a saltar, com bandeiras ao vento;

Equipa estagiou no Dubai durante a pausa de inverno da Bundesliga;

O Dortmund foi a equipa que efetuou mais passes na fase de grupos da Liga Europa (3767), mais de 300 do que o Nápoles (3421), que foi a segunda equipa;